Palestrantes

PALESTRANTES


zuliana

Zuliana Lainez
Periodista. Vicepresidenta de la Federación Internacional de Periodistas. Presidenta de la Asociación Nacional de Periodistas del Perú.
Editora de Opinión del diario digital Crónica Viva.
Estudió periodismo en la Universidad Jaime Bausate y Meza de Perú.
Ha sido jefa de informaciones del diario Liberación y productora periodística en Radio Santa Rosa.
Catedrática en Legislación Periodística y Derecho a la Información.


foto-cidespe-ii

Carolina Kruse Ramos

Mestre em Engenharia de Produção através da chamada especial para Pesquisas em Gestão de Operações em Universidades Públicas Federais;
Tecnóloga em Processos Gerenciais pelo IFRS
Atuou por mais de 17 anos em cargos de gestão do mercado imobiliário e como servidora técnica-administrativa do IFRS
Docente da área de Administração do Campus Veranópolis do IFRS
Pesquisadora das áreas de Gestão de Pessoas; Governança; Administração Pública; Qualidade.


cristina
Cristiana Nepomuceno de Sousa Soares 

Graduada em Direito e Biologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em Belo
Horizonte. Pós-Graduada em Gestão Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto- MG.
Especialista em Direito Ambiental pela Universidade de Alicante/Espanha. Mestre em Direito
Ambiental pela Escola Superior Dom Helder Câmara.
Foi assessora jurídica da Administração Centro-Sul da Prefeitura de Belo Horizonte, assessora
jurídica da Secretaria de Minas e Energia- SEME do Estado de Minas Gerais, consultora jurídica
do Instituto Mineiro de Gestão das Águas- IGAM, assessora do TJMG, professora de Direito
Administrativo da Universidade de Itaúna/MG, membro da UBAA- União Brasileira da Advocacia
Ambiental, presidente da Comissão de Direito de Energia da OAB/MG 2020/2021.


foto-carlos-a-valera

Carlos Alberto Valera

Doutor em Agronomia – Ciência do Solo – pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP/FCAV), campus Jaboticabal/SP. Colíder do Grupo Política de Uso do Solo (POLUS), UNESP FCAV. Membro Colaborador da Comissão de Meio Ambiente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Vice-Diretor da Região Sudeste da Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa). Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de Minas (MPMG). Coordenador Regional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente das Bacias Hidrográficas dos Rios Paranaíba e Baixo Rio Grande.


debora

Debora Coral Viegas

Bacharel em Engenharia de Produção pela UFRGS, pós graduada em Marketing Estratégico pela ESPM e Mestre em Digital Experience Design pela Hyper Island (UK) onde defendeu a dissertação: “Crescendo Negócios Sustentáveis na Era Digital. Usando o pensamento sistêmico para fomentar a economia da floresta em pé.” Efetuou também cursos de extensão em Design Thinking em Stanford (USA) e User Experience na General Assembly (USA). Possui experiência de mais de 14 anos trabalhando com desenvolvimento de inovações para grandes corporações como Santander, Sicredi e Lojas Renner. Atualmente atua como empreendedora na Purus, startup que nasceu norteada por práticas ESG (ambientais, sociais e de governança) e foi criada com o propósito de estimular a manutenção e regeneração da Floresta Amazônica.

kelly
Kelli Cristina Dacol
Doutoranda e Mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental, Especialista em Engenharia de Avaliações de Bens e Perícias, Especialista em Controle da Gestão Pública Municipa, Especialista em Elaboração e Gerenciamento de Projetos de Recursos Hídrico, Bacharel em Administração Pública. Servidora pública municipal da Prefeitura de Balneário Camboriú e Professora convidada na UNIVALI – Universidade do Vale do Itajaí.
Experiência de 10 anos em gestão do saneamento básico, principalmente como funcionária da EMASA – Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú, onde ocupei os cargos: Gerente de Expansão, Gerente de Apoio Administrativo e Diretora Técnica. Fui representante na cadeira de usuários de água no Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio
Camboriú e representante governamental nos Conselhos da Cidade e de Meio Ambiente do município de Balneário Camboriú. Atuei também como delegada na revisão do Plano Diretor do mesmo município. Participei da Comissão Técnica de elaboração dos critérios de mitigação e compensação para Estudos de Impactos de Vizinhança. Coordenei a elaboração do
Plano Municipal de Saneamento de Balneário Camboriú. Idealizei e coordenei o desenvolvimento dos projetos: “Produtor de Água do Rio Camboriú” e “Se Liga na Rede BC”. Academicamente atuo nos seguintes temas: administração pública; gestão ambiental; gestão e regulação do saneamento básico e Pagamento por Serviços Ambientais.

 eloisa-okk
Eloisa Beling Loose
Jornalista, professora, pesquisadora e consultora na área de
Comunicação e Meio Ambiente, com ênfase em aspectos atrelados às mudanças
climáticas. Possui formação interdisciplinar e ampla experiência na coleta e análise de
dados, assim como na área de divulgação científica. Já trabalhou em redação, assessoria
de imprensa e instituições de ensino superior. Atualmente atua como consultora na área
de comunicação climática. Recebeu o Prêmio Capes 2017 de melhor tese na área de
Ciências Ambientais pelo trabalho sobre as relações entre comunicação, percepção de
risco e governança das mudanças climáticas, com foco nos atores envolvidos na
produção e recepção de notícias locais em Curitiba. Concluiu doutorado na área da
Comunicação em 2021, com foco na cobertura climáticas de veículos não hegemônicos.
Possui treze anos de experiência na área de investigação, com vasta prática em produção
de artigos, livros, capítulos de livros, apresentações e relatórios técnicos, e em gestão
de projetos de ensino, pesquisa e extensão. Dedica-se a projetos de comunicação,
pesquisa e educação voltados para a melhor compreensão das questões ambientais,
especialmente aquelas voltadas para o enfrentamento da crise climática.

isabelaaaa
Isabella de Roldão

(PDT) é a primeira mulher eleita a ocupar o cargo de vice-prefeita do Recife, após vencer as eleições de 2020 junto a João Campos (PSB). Tem como missão servir às cidadãs e aos cidadãos do Recife, com o propósito de contribuir para a promoção da igualdade e da transformação social a partir da educação e do desenvolvimento sustentável.

É advogada, professora, estudante de nutrição e liderança política por vocação. Foi Presidente do Partido Democrático Trabalhista do Recife (PDT) e da Ação da Mulher Trabalhista (AMT).
Entre 2013 e 2016, atuou como vereadora na Câmara Municipal do Recife. De fevereiro de 2019 a abril de 2020, comandou a Secretaria de Habitação do Recife, implantando o conceito de habitabilidade em residenciais da cidade, através de programas como o Pertencer – Espaço de Convivência, Autoconstrução e Parceria na Sua Casa.
Na Vice-Prefeitura, é a Coordenadora Estratégica de Projetos, Parcerias e Intercâmbios na área de Relações Internacionais. Também foi nomeada embaixadora para a América do Sul da Cities Climate Finance Leadership Alliance, coalizão global de entidades dedicadas ao urbanismo sustentável, com foco no financiamento de ações climáticas e de infraestrutura resiliente de baixo carbono em cidades de todo o mundo.
Sempre comprometida em inserir o Recife nas pautas de relevância global, Isabella trabalha integrada às secretarias da gestão, sobretudo em projetos voltados à educação e primeira infância, protagonismo da juventude, sustentabilidade, mobilidade urbana e empoderamento feminino.

foto-professor-gabriel-wedy
Gabriel Wedy
é juiz federal, membro do Grupo de Trabalho Observatório do Meio Ambiente e das
Mudanças Climáticas do Poder Judiciário instituído pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), professor
no programa de pós-graduação e na Escola de Direito da Universidade do Vale do Rio dos Sinos
(UNISINOS), professor de Direito Ambiental na Escola Superior da Magistratura Federal (ESMAFERS),
pós-doutor, doutor e mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
(PUCRS), Visiting Scholar na Columbia Law School (Sabin Center for Climate Change Law) e na
Universität Heidelberg (Institut für deutsches und europäisches Verwaltungsrecht), diretor de assuntos
internacionais do Instituto O Direito por um Planeta Verde (IDPV), e ex- presidente da Associação dos
Juízes Federais do Brasil (AJUFE) e da Associação dos Juízes Federais do Rio Grande do Sul
(AJUFERGS). É autor de diversos livros e artigos jurídicos, no Brasil e no exterior, sobre direito das
mudanças climáticas e direito ambiental.

cintraRicardo Cintra Torres de Carvalho
Formado na Faculdade de Direito da USP em 1976, ingresso na magistratura do Estado em 1983, promovido a desembargador em 2005, integrante da 1ª Câmara Ambiental desde 2005. Coordenador de Meio Ambiente da Escola Paulista da Magistratura desde 2015. Contribui para a coluna Ambiente Jurídico, da Conjur, com artigos diversos.

cacia
Cácia Pimentel

Advogada, Pesquisadora e Professora nas áreas de Direito Econômico, Ambiental e Sustentabilidade, Contratos, Energia e Mudanças Climáticas, com foco em políticas públicas das mudanças climáticas, transição energética, ESG e crescimento econômico sustentável.

Doutora em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo. Pesquisadora Visitante pela Faculdade de Direito da Columbia University (2020). Mestre em Direito pela Cornell University; MBA em Direito Econômico e das Empresas pela FGV-DF. Graduada em Direito pela Universidade de Brasília (UnB).

Coordenadora da obra Caminhos Jurídicos e Regulatórios para a Descarbonização no Brasil, Ed. Fórum (2021). Diversos capítulos de livros e artigos publicados. Palestrante na Conferência das Partes para o Clima (COP26, 2021).


eduardo
 Eduardo Viegas
Graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998). Atualmente é Promotor de Justiça em Porto Alegre/RS. É especialista em Direito Civil pela URI/Erechim e mestre em Direito Ambiental pela UCS/Caxias do Sul. Foi professor de graduação universitária, de cursos preparatórios para concurso e em pós-graduações. Integra a Associação Brasileira do Ministério Público do Meio Ambiente (ABRAMPA). Parecerista da Revista de Direito Ambiental da Editora RT. Facilitador de Círculos Restaurativos. É autor dos livros Visão Jurídica da Água e Gestão da Água e Princípios Ambientais, e de diversos artigos na área do Direito. Participa de eventos na área do Direito Ambiental como conferencista e palestrante.

ilza
Ilza Maria Tourinho Girardi
É professora Titular Aposentada da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal de Rio Grande do Sul. É professora convidada no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Criou em 2003 a primeira disciplina Jornalismo Ambiental do país. Criou a disciplina Comunicação e Educação Ambiental para o Curso de Museologia da mesma faculdade. Na pós-graduação ministra o seminário Jornalismo e Meio Ambiente. É líder do grupo de Pesquisa em Jornalismo Ambiental e orienta no mestrado e doutorado. Coordena o Projeto de pesquisa Epistemologia do Jornalismo Ambiental e o projeto de extensão Observatório do Jornalismo Ambiental. Faz parte da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental e da Rede de Comunicadores Ambientais da América Latina e Caribe. Atualmente é coordenadora do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul.

eunice

EUNICE MARIA GUNTZEL RAMOS
NASCEU NO MUNICÍPIO DE ESTRELA NO RIO GRANDE DO SUL. É FILHA DE LÍLIA GUNTZEL RAMOS E ADROALDO RAMOS (in memorial) E TEM TRÊS IRMÃO, SÉRIO, CRISTINA E MARCOS.
É FORMADA EM JORNALISMO PELA UNISINOS – UNIVERSIDADE DO VALE DO SINOS EM SÃO LEOPOLDO, E PÓS GRADUADA EM GESTÃO EM MARKETING PELA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. //TAMBÉM É PÓS GRADUADA EM INTELIGÊNCA ESTRATÉGICA PELA FAATEC DO PARANÁ NO CURSO REALIZADO EM PARCERIA COM A ADESG – ASSOCIAÇÃO DOS DIPLOMANDOS DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA.// ATUALMENTE É MESTRANDA EM COMUNICAÇÃO NA
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSS0.//
OS PRIMEIROS PASSOS NA PROFISSÃO FORAM NO JORNAL NOVA GERAÇÃO DE ESTRELA. //DEPOIS DE FORMADA TRABALHOU DOIS ANOS NA SUCURSAL DA RBS TV DE LAJEADO.// TROCOU O SUL PELO CENTRO-OESTE QUANDO RECEBEU O CONVITE PARA TRABALHAR NA REDE MATO GROSSENSE DE TELEVISÃO ONDE ATUA COMO REPÓRTER NACIONAL// PARTICIPOU DE GRANDES COBERTURAS COMO A QUEDA DO AVIÃO DA GOL QUE MATOU 154 PASSAGEIROS.// SUA ATUAÇÃO TAMBÉM ESTÁ VOLTADA PARA O COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER , ALÉM DAS REPORTAGENS ABORDANDO O TEMA, EUNICE RAMOS TAMBÉM É MEMBRO EFETIVO DA CÂMARA SETORIAL TEMÁTICA DA MULHER CRIADA PELA ASSEMBLEIA LEGISTATIVA PARA PAZER UMA REVISÃO GERAL DA LEGISLAÇÃO DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES E PROPOR POLÍTICAS PÚBLICAS DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA.
A JORNALISTA TAMBÉM TEM O OLHAR VOLTADO PARA PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE COM A BUSCA DE ALTERNATIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.//
DENUNCIOU EM REPORTAGENS NO JORNAL NACIONAL E NOS TELEJORNAIS LOCAIS O DESMATAMENTO ILEGAL E A POLUIÇÃO DOS RIOS.// PARTICIPOU DE PROJETOS ESPECIAIS DA REDE GLOBO COMO A SÉRIE “RIO PARAGUAI – DAS NASCENTES À FOZ” ONDE PERCORREU, AO LADO DO JORNALISTA JOSÉ HAMILTON RIBEIRO, DOIS MIL E SEISCENTOS QUILÔMETROS REGISTRANDO PESQUISAS, HISTÓRIAS E PERSONAGENS DE UM DOS RIOS MAIS IMPORTANTES DA AMÉRICA LATINA.// TAMBÉM MOSTROU AS BELEZAS E AS AMEAÇAS AO PANTANAL NO GLOBO REPÓRTER – UM DOS PROGRAMAS DE MAIOR AUDIÊNCIA DA TELEVISÃO BRASILEIRA.// ASSINOU AINDA UM PROGRAMA ESPECIAL SOBRE OS RIOS PARAGUAI E CUIABÁ QUE FOI AO AR NO PELA TV CENTRO AMÉRICA.// O PROGRAM “EXPEDIÇÃO TRAVESSIA” ACOMPANHOU O TRABALHOS DOS PESQUISADORES DA UNEMAT – UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO., CONTRIBUINDO PARA A DIVULGAÇÃO DA CIÊNCIA//
PELO TRABALHO REALIZADOS NA ÁREA DE SUSTENTABILIDADE, EUNICE RAMOS JÁ RECEBEU PRÊMIOS IMPORTANTES COMO DO INSTITUTO ETHOS DE JORNALISMO E PRÊMIO AIRTON SENNNA DE JORNALISMO.// ATUALMENTE É MESTRANDA NO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMUNCAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO.//

surui
Almir Narayamoga Suruí
(Aldeia Lapetanha na Terra Indígena Sete de Setembro – Cacoal, 19 de agosto de 1974) é um líder indígena brasileiro.
Nasceu cinco anos depois do primeiro contato do povo Paiter Suruí com não-indígenas, que haviam chegado a Rondônia durante as migrações da década de 1970. É filho do Labiway (líder) Marimop Suruí e de Weytã Suruí, pertencendo ao clã de guerreiros Gameb dentro do Povo Paiter Surui.
Aos 15 anos, mesmo falando com dificuldade a língua portuguesa, foi estudar Biologia Aplicada na Universidade Católica de Goiás. De volta a Rondônia, atuou na Associação Metareilá do Povo Indígena Suruí, promovendo a defesa do meio ambiente e da cultura indígena.
Na década de 1990, começou a buscar parceiros para pesquisas de cultura e socioeconomia. Conseguiu inicialmente o apoio da Fundação Nacional do Índio e do Ministério do Meio Ambiente. Desenvolveu então com pesquisadores da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé uma metodologia de diagnósticos etnoambientais participativos e planos de gestão de terras indígenas, aplicado posteriormente em outras terras indígenas no Brasil.
Diante do problema do tráfico ilegal de madeira, implantou um projeto de reflorestamento em 2005. Cobrou do governo federal as medidas necessárias para proteger a Terra Indígena Sete de Setembro, ameaçada pela ação dos madeireiros. Aceitou o convite para dirigir o Departamento Etnoambiental da COIAB, em Manaus, como forma de escapar das ameaças que vinha sofrendo em sua terra natal.
Em 2007, tornou-se conselheiro do Conselho Nacional de Politica Indigenista (CNPI), em que defendeu suas propostas de gestão das terras indígenas. No mesmo ano, propôs à Google um projeto de utilização de imagens de satélite da reserva Suruí para um mapeamento étnico da região, atalogando aldeias, cemitérios, locais de confrontos e outros pontos de interesse da comunidade.
Durante a reunião da COP 15 em Copenhague, em 2009, apresentou o Projeto de Carbono Suruí, ganhando o Prêmio Maia Lin. Recebeu em 2011 o prêmio de liderança da Bianca Jagger Human Rights Foundation. Foi considerado pela revista Fast Company a pessoa mais criativa em negócios no Brasil.
Vítima de inúmeras ameaças de morte desde 2012, o cacique Almir vive protegido por dois guarda-costas das forças especiais da Polícia Federal do Brasil.

aparecido

Aparecido Hojaij

É presidente da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (Assemae), entidade que reúne quase dois mil municípios associados com serviços autônomos de saneamento básico. Bacharel em Ciências Biológicas pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Barão de Mauá, e especialista em Engenharia de Saneamento Básico pela Universidade Federal de São Carlos. É Analista Ambiental do Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Jaboticabal (SAAEJ), em São Paulo, já tendo exercido o cargo de Diretor de Resíduos Sólidos da mesma autarquia. Com mais de 30 anos de experiência no setor, também atua como Vice-Presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Mogi-Guaçu.


andre
André Trigueiro
é jornalista com Pós-graduação em Gestão Ambiental pela COPPE/UFRJ, onde leciona a disciplina “Geopolítica Ambiental”, professor e criador do curso de Jornalismo Ambiental da PUC-Rio, autor dos livros “Cidades e Soluções – Como construir uma sociedade sustentável” (Ed. LeYa, 2017); “Mundo Sustentável 2 – Novos Rumos para um Planeta em Crise” (Ed.Globo, 2012); “Mundo Sustentável – Abrindo Espaço na Mídia para um Planeta em transformação (Ed. Globo, 2005), “Espiritismo e Ecologia” (Ed. Federação Espírita Brasileira, 2009), “Viver é a Melhor Opção – A prevenção do suicídio no Brasil e no Mundo” (Ed. Correio Fraterno, 2015) e coordenador editorial e um dos autores do livro “Meio Ambiente no século XXI” (Ed. Sextante, 2003).

liliani
Líliani Cafruni
Advogada, especialista Direito Ambiental, Diretora de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Corsan.

ary
José Ary Moura
Natural de Foz do Iguaçú, no Paraná, José Ary Moura é advogado formado pela Unisinos, onde cursou também Engenharia Civil. Como profissional, tem atuado de maneira eficiente nas mais diversas áreas do Direito. Reside em São Leopoldo, desde o início da década de 1970, tendo participado ativamente no desenvolvimento deste município.
Fundador do PDT Nacional, do Rio Grande do Sul e de São Leopoldo, a história política de Ary Moura está diretamente ligada ao partido e trabalha para não deixar morrer o legado de Brizola. Por ser fiel aos seus ideais, jamais mudou de partido. Foi vereador de São Leopoldo por cinco mandatos sendo eleito em 1982, 1996, 2004, 2008 e 2016.Foi presidente da Câmara de Vereadores em 2007, quando devolveu aos cofres públicos mais de R$ 2 milhões. Prefeito em exercício de São Leopoldo nos anos de 2007 e 2011, foi também secretário Municipal de Obras no governo do prefeito Olímpio Albrecht (PDT). Coordenador da campanha de Leonel Brizola e Alceu Collares no Vale do Sinos, atuou também como assessor do governador Alceu Collares no Palácio Piratini.Membro da executiva do pró-dique no período de 1983 a 1989. É também autor do pedido que viabilizou a construção do viaduto estaiado da Unisinos, em São Leopoldo. Atualmente, Ary Moura se divide entre as funções de vice-prefeito de São Leopoldo e diretor-geral do Serviço Municipal de Água e Esgotos, além de ser presidente do diretório municipal do Partido Democrático Trabalhista e presidente Regional da Assemae.

garcia

Alexandre Garcia

Diretor-geral do Departamento de Água e Esgotos (Dmae) desde janeiro de 2021, também foi diretor-presidente do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep) na gestão 2017-2020. Advogado, especialista criminal, pós-graduando em governança e gestão. Há dez anos atua no serviço público, onde já ocupou cargos no Serviço Social do PAC Habitação, Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social, onde fez a gestão do SINE de 23 Municípios da Região Sul, e na Prefeitura de Pelotas.


marga
Marga Inge Barth Tessler
Desembargadora Federal do TRF4, Mestre em Direito do Estado PUC/Rs, Especialista em Direito Sanitário, UNB/BSB, Mestre em Administração da Justiça, FGV/DireitoRio.

francisco
Francisco Milanez
Doutor pelo Instituto de Ciências Básicas da Saúde (UFRGS) em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (UFRGS, FURG, UFSM E pelo desenvolvimento de um método de ensino para gerar uma visão complexa da realidade, através da Noção Complexa de Saúde, aplicável a sistemas complexos como cidades, agroecológicos e naturais. Mestre pelo Instituto de Ciências Básicas da Saúde (UFRGS) em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde sobre a proposta de uma Noção Complexa de Saúde. Especialista em Análise de Impactos Ambientais pela Universidade Federal do Amazonas. Licenciado em Biologia (UFRGS), bacharel em Arquitetura e Urbanismo (UFRGS). Propositor da noção de Desenvolvimento Saudável. Professor e diretor convidado da Flacam/CES/UNESCO do curso “desarrollo saludable”. Professor convidado no curso de especialização em Educação Social e Direitos Humanos da Escola do CIESS FACED UFRGS
Foi criador e coordenador do Plano Rio Grande do Sul Sustentável do governo do Estado. Foi professor Da FURG (Universidade Federal de Rio Grande) nos cursos de Agroecologia e Gestão Ambiental, e da UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul) no curso de Arquitetura e Urbanismo. Presidiu a Agapan (Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural) por 6 gestões. Conferencista nos Fóruns Globais da Rio 92 (Cúpula da ONU de Meio Ambiente e Desenvolvimento) e em Copenhagen 95 (1ª. Cúpula Social da ONU), representante do Fórum Brasileiro de ONGs no encontro da CDS (Comissão de Desenvolvimento Sustentável) (NY) e na Rio+5 (pré-conferência no Brasil e na Cúpula de New York. Fellow internacional da Ashoka de empreendedores sociais (1993-), Fellow do Grupo de desenvolvimento internacional dos Companheiros das América (1990-). Como escritor tem duas autorias individuais: “O Golpe do Terceiro Mundo” e “Ecoalfabetização, manual de sobrevivência em um planeta em extinção”, e participação em vários livros e revistas. Trabalha com saúde complexa, educação de professores, projetos e planejamento em desenvolvimento sustentável e agroecologia, temas sobre os quais ministra cursos, palestras e desenvolve pesquisas.

martini
Daniel Martini

Membro colaborador do Conselho Nacional do Ministério Público – Comissão
Temática de Meio Ambiente.
Membro-Diretor da Associação Brasileira de Ministério Público de Meio
Ambiente – ABRAMPA.
Coordenador Adjunto do Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos
Agrotóxicos – FGCIA.
Conselheiro do Conselho Gestor Fundo Estadual para Recuperação dos Bens
Lesados do Estado do Rio Grande do Sul.
Conselheiro do Conselho Gestor do Fundo Estadual de Meio Ambiente do
Estado do Rio Grande do Sul.
Coautor dos livros “Crimes Ambientais: comentários à lei 9605/98 (2013) e
Juiz Federal – O Livrão (2013).
Tradutor do Livro Principia Iuris, de Luigi Ferrajoli.